AEMaximinos

A Escola Secundária de Maximinos, debateu o tema da “Saúde Mental nos Jovens”, com o deputado Firmino Marques

batch 1674584454324 side

No dia 23 de janeiro, a Escola Secundária de Maximinos, no âmbito do projeto “Parlamento dos Jovens”, promoveu o debate sobre a temática da “Saúde Mental nos Jovens. Que desafios? Que respostas? A sessão realizou-se no espaço da cantina, pelas 10h30 e contou com a presença do deputado da Assembleia da República, o Dr. Firmino Marques, Dr. Paulo Antunes, Diretor da Escola, Dr. Alexandre Lourenço, adjunto da direção, a coordenadora do projeto Dores Pereira, os jovens deputados eleitos (lista A) e todas as turmas de 11º e 12º ano e uma de 10º ano e os professores acompanhantes.

O Dr. Alexandre Lourenço, iniciou a sessão, na ausência do Diretor, presente na abertura da sessão, com a mesma temática, na Escola Frei Caetano Brandão. Começou por agradecer a presença de todos e fez uma breve apresentação da biografia e currículo do nosso ilustre representante nacional.

O deputado Firmino Marques, iniciou a sua intervenção começando por elogiar o projeto «Parlamento dos Jovens» e a adesão da nossa Escola. Destacou que este exercício de cidadania ativa e crítica é fundamental para a consolidação da nossa democracia, pois, estimula o gosto pela participação cívica e política e incentiva à reflexão e ao debate, para temas muitos pertinentes e que nos preocupam, como as vantagens/desvantagens do digital, tema de reflexão e debate no ano passado e o atual a saúde mental nos jovens, especialmente, depois de uma pandemia. Seguidamente, partilhou aspetos da sua experiência académica, no antigo Liceu Nacional Sá de Miranda e o pioneirismo na criação da associação de estudantes, que o influenciaram e conduziram à atual condição de Deputado da Assembleia da República, eleito pelo círculo de Braga (Partido PSD). Salientou a importância do associativismo nas escolas, para a promoção de reflexão, melhoria e mudança. Lembrou ainda, que a Escola de Maximinos é uma grande referência no Desporto Escolar, em especial na modalidade de andebol.

Concluindo a sua intervenção inicial, o deputado Firmino Marques apresentou um PowerPoint, para explanar os diversos aspetos da organização e funcionamento da Assembleia da República, nomeadamente, em relação: à constituição e competências; o funcionamento do Plenário; as Comissões Parlamentares, tendo destacado, as que participou; a sua composição atual; as atividades de preparação do debate parlamentar até ao processo de decisão do Parlamento e a iniciativa legislativa de Cidadãos. Terminou referindo, a presença muito residual de jovens deputados, no Parlamento, entre os 18 e os 25 anos, com apenas dois.

 Entrando na abordagem da temática, começou por introduzir a definição de Saúde Mental segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), para de seguida, enunciar o conceito de Saúde Mental. Destacou que a Saúde Mental nos jovens, é uma área prioritária de intervenção, sendo necessário uma cultura de promoção e prevenção a nível nacional. Identificou alguns fatores com impacto na saúde mental dos jovens, tais como: o desejo de maior autonomia; a pressão entre pares; a identidade, a sexualidade e as relações interpessoais; os comportamentos aditivos; os desafios colocados pelos media e as novas tecnologias; a discriminação ou exclusão social; a violência, bullying, cyberbullying; a segurança online e as dificuldades no acesso a serviços qualificados. Os sinais de alerta mais visíveis são o isolamento, a apatia, a tristeza, o cansaço, a ansiedade e a agressividade. Ficamos a saber que, Portugal ocupa o segundo lugar no ranking dos países com mais problemas de saúde mental nos jovens. As estatísticas mostram que atualmente, um em cada cinco adolescentes sofre de perturbação de ansiedade e um em cada quatro, de depressão. Face a estes dados alarmantes, é crucial que os jovens desenvolvam e mantenham hábitos sociais e emocionais que promovam e protejam a Saúde Mental. São exemplos disso, a prática regular de exercício físico, um sono de qualidade, uma alimentação equilibrada, a adoção de estratégias para lidar e resolver problemas, uma boa gestão das relações interpessoais e de controlo de emoções. Ressaltou que, a Escola é um espaço de excelência, para a promoção das aprendizagens académicas, mas também, das relações sociais, da educação emocional e de um estilo de vida saudável.

Terminada a palestra, os alunos tiveram a oportunidade de colocar questões sobre o tema em reflexão. O aluno Rodrigo Vieira, deputado eleito pela lista A, tomou a palavra e ressaltou a necessidade de uma resposta mais rápida e de qualidade no acesso aos serviços de saúde mental. Lamentou o fim da gestão privada do Hospital de Braga, uma parceria de sucesso do público-privado do Serviço Nacional de Saúde. Apresentou ainda, as três medidas de recomendação, no âmbito do projeto Parlamento Jovem, as quais foram enaltecidas pelo deputado Firmino Marques.

No geral, esta palestra revelou-se muito profícua e gratificante, para todos os envolvidos, alunos e professores e contribuiu para a sensibilização desta temática junto dos mais jovens.

“A Menina Que Não Sabia Contar”

Capa do livro
 
O Agrupamento de Escolas de Maximinos encontra-se a desenvolver várias atividades interdisciplinares de exploração da obra “A Menina Que Não Sabia Contar” de Elisabete Pereira, que culminarão com a visita da escritora a algumas das escolas. No dia 21 de março, a autora estará presente na EB2/3 Frei Caetano Brandão, no âmbito da Semana da Leitura. Neste link, podemos ver algumas das atividades que têm sido desenvolvidas, onde fica bem explícito o empenho, interesse e alegria de todos os nossos alunos na leitura e análise da obra e na exploração dos seus recursos. “A Menina Que Não Sabia Contar” é um livro que fala sobre uma menina linda e simpática, mas muito triste porque não sabia contar. Não tem amigos e anda sempre sozinha. Certo dia, ouve um ruído no seu quarto e descobre um monstro dentro do seu armário. Mais tarde, faz uma viagem supersónica com ele e encontra-se com um jacaré que tem poderes especiais... Cheio de aventura e imerso no fascínio da imaginação infantil, o livro revela o segredo de como aprender a fazer algo que queremos. No final, a obra dispõe de um QR code que dá acesso a um padlet com material para exploração da mesma, nomeadamente: uma música, kahoot, guiões de leitura, atividade de cidadania, artes visuais, sopa de letras, palavras cruzadas... Trata-se de um recurso muito útil para as crianças e para os adultos. A obra está a ser trabalhada em articulação curricular com as disciplinas de Português, Cidadania e Desenvolvimento, Educação Musical, Educação Visual, Educação Física, Matemática e CLIL, à semelhança de outros agrupamentos de todo o país. A música foi composta e cantada por um professor do Agrupamento de Escolas de Maximinos.
 
Link de acesso à música: https://youtu.be/m2oertkdGF8
Link de acesso às fotografias e vídeos: https://photos.app.goo.gl/z4xzQrp5oCEVBnvu7
 
 

Torneio de Boccia

Captura de ecrã 2023 01 28 121725

O Agrupamento de Escolas Maximinos vai organizar no próximo dia 1 de fevereiro de 2023 o 1º Encontro de Boccia da Série 2 do Desporto Escolar que contará com a participação do Grupo-Equipa do Agrupamento, a Escola Básica de Vila Verde e a Escola Secundária de Vila Verde.

A competição decorrerá no Pavilhão Municipal de Maximinos, em Maximinos, Braga e será realizada em duas divisões (uma individual e outra coletiva).

Competição Individual - Divisão I:

· I2 - Alunos em cadeira de rodas que jogam com o pé ou com a mão;

· I3 - Alunos em pé com ou sem limitações funcionais.

Competição Coletiva - Divisão II:

· Equipas – 2 jogadores em pé com limitações funcionais e mais 1 jogador.

 Horários da competição:

· 9:00 Horas – Receção das Escolas/Reunião Técnica;

· 9:15 Horas - Início do encontro;

· 12:30 – Fim do encontro.

“Como era a Escola e o Ensino antes de abril de 1974”

contameComoEra

Nesta 5ª feira, 26 de janeiro, na Escola Secundária de Maximinos, o Clube Bibliotecas Humanas promoveu, para os alunos do 10º1 e 10º3,  mais uma sessão “À conversa com...”, com o tema “Como era a Escola e o Ensino antes de abril de 1974”. Pretendia-se também iniciar o Projeto “Escolas à Descoberta de Abril - 50 anos 25 de Abril (EDA 50), promovido pela Comissão Nacional de Educação, tendo sido selecionada a turma 3, do 10ºano (Área de Línguas e Humanidades).

Os docentes de Português convidados, Francisco Canário e Florêncio Gonçalves, conduziram esta agradável partilha de memórias, mostrando, através das suas vivências, como era escola em tempos de ditadura, desde o Ensino Primário (1º ciclo) até ao Ensino Universitário: como se aprendia e o que se aprendia, qual a relação dos alunos com os professores, os manuais e materiais escolares, o espaço físico da sala de aula, as atividades lúdicas, as expectativas de futuro dos alunos de então, as ideologias sócio-políticas subjacentes ao Ensino Público e Privado/Religioso.

        Motivar-se-ia assim os alunos a perceberem o presente e conhecerem o passado, a partilharem experiências e emoções com os seus avós, gostando de ouvir histórias das suas vivências, por vezes tão difíceis. Além da abordagem cívica e sociológica, ficaram por isso animados para iniciarem as primeiras atividades do Projeto Nacional “Escolas à Descoberta de Abril - 50 anos 25 de Abril (EDA 50)”, a ser desenvolvido no presente ano letivo.

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

Lembrar para não esquecer/ lembrar para não repetir
fotos 9

No dia 27 de janeiro de 1945, foi libertado o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau Não houve, nem há palavras para descrever o horror vivido naquele e nos outros campos de concentração nazis.

Quando as Nações Unidas escolheram a data como o “Dia Internacional das vítimas do Holocausto”, o “Dia da Memória”, fizeram-no para que nunca se esquecesse a barbárie, mas também para que nunca se mais se repetisse.

Sabemos que, infelizmente, tal não aconteceu. Ao longo dos séculos XX e do XXI, muitas minorias, um pouco por todo o planeta, continuaram e continuam a ser perseguidas:

  • o povo curdo e os palestinianos, no Médio Oriente; cristãos assírios, xiitas turcomanos, xiitas shabak, yazidis, kakais e sabean mandaeans pelo estado islâmico;
  • a etnia Hazara na província de Ghor, no Afeganistão;
  • os uigures, cazaques, na China, em Xinjiang;
  • minorias étnicas, incluindo Chin, Kachin, Karen, Rakhine, Rohingya, Shan, Ta’ang e outras em Mynmar;
  • na Bulgária, os ataques contra grupos minoritários, nomeadamente emigrantes e pessoas LGBTQ+; tal como aconteceu na Moldávia;
  • Durante a Guerra do Kososvo, o rapto e envio para campos de concentração de membros de minorias étnicas e de albaneses;
  • Migrantes;
  • Povos indígenas da América, desde o Canadá às florestas da Amazónia;
  • Judeus;
  • Membros da etnia cigana;
  • Quénia: pastores Turkana ou Masai;
  • Somalis, que à semelhança dos Masai, se encontram disseminados por várias regiões fronteiriças do Corno de África;
  • No Mali, os tuaregues;
  • No Ruanda, o genocídio em 1994 contra os Tutsi;
  • No Botswana, os bosquímanos;
  • A tribo tailandesa Karen, das “mulheres girafa”. (…)

É uma longa lista e talvez peque por defeito. Lembremo-nos hoje que alguém, no nosso mundo, está a ser ameaçado, perseguido, ou morto, apenas porque é diferente.

Vídeo: Silencio de Auschwitz

Fotos da exposição sobre o tema 

CeD

No AE Maximinos a Ciência é Viva 🙂

batch 327523780 729589108577345 3676040174255609840 n

 

Trabalho realizado pelo aluno Hélder Lima (9°5), no âmbito da disciplina de Físico-química.

Participação dos alunos do Ensino Articulado da Música em evento

IMG 20230124 144142 1

Apresentação Pública do Por El@s- Plano Local de Promoção e Proteção dos Direitos das Crianças e Jovens de Braga.

Ida ao Teatro 

51 alunos do 10º ano, do Agrupamento de Maximinos, foram  a V. N. Gaia assistir à dramatização da obra do programa “Farsa de Inês Pereira” de Gil Vicente.

Da iniciativa do grupo de Português, esta atividade permitiu aos alunos o contacto com uma das obras do programa, em linguagem teatral. Foram, então, proporcionadas aprendizagens fora do contexto de sala de aula que, para além das aprendizagens específicas da disciplina, possibilitaram outras no domínio da cidadania, como a criação de hábitos de participação em atividades culturais.

Alunos e professoras consideraram que foram vividos momentos de extrema beleza cénica: uma aula de e sobre o teatro.

Os envolvidos agradecem à Câmara Municipal de Braga a cedência gratuita do transporte.

142509

"À conversa com .."

Clube Bibliotecas Humanas desenvolverá, na 5ª feira, na Escola Secundária de Maximinos, a atividade "À conversa com.." os docentes Francisco Canário e Florêncio Gonçalves e, ainda, o Assistente Operacional Armando Araújo.
Dá-se início assim ao Projeto Escolas à Descoberta de Abril - 50 anos 25 de Abril (EDA 50), promovido pela Comissão Nacional de Educação, levando os alunos do 10º3 (turma selecionada para desenvolver este projeto nacional) a perceber como era a Escola/Educação antes de 1974.
 

ctzEscAntesRev

 

Contratação de Escola - Pessoal Docente 2022/2023

AVISOS DE ABERTURA

Horário n.º 12 - Educação Pré-Escolar (GR 100)

Horário n.º 13 - Informática (GR 550) 

Horário n.º 20 - Educação Pré-Escolar (GR 100)

Horário n.º 21 - Geografia (GR 420)

Horário n.º 22 - Educação Moral e Religiosa Católica (GR 290)

Horário n.º 23 - Português e Inglês (GR 220)

Horário n.º 25 - Informática (GR 550) 

Horário n.º 26 - Português (GR 300) 

Horário n.º 29 - Educação Musical (GR 250)

Horário n.º 32 - Educação Pré-Escolar (GR 100)

Horário n.º 34 - Informática (GR 550) 

Horário n.º 45 - 1º Ciclo do Ensino Básico (110)

Horário n.º 46 - Informática (GR 550) 

Horário n.º 56 - Português e Inglês (GR 220)

 

 LISTAS DE ORDENAÇÃO

Horário n.º 12 - Educação Pré-Escolar (GR 100)

Horário n.º 13 - Informática (GR 550) 

Horário n.º 20 - Educação Pré-Escolar (GR 100)

Horário n.º 21 - Geografia (GR 420)

Horário n.º 22 - Educação Moral e Religiosa Católica (GR 290)

Horário n.º 23 - Português e Inglês (GR 220)

Horário n.º 25 - Informática (GR 550) 

Horário n.º 26 - Português (GR 300) 

Horário n.º 29 - Educação Musical (GR 250)

Horário n.º 32 - Educação Pré-Escolar (GR 100)

Horário n.º 34 - Informática (GR 550) 

Horário n.º 45 - 1º Ciclo do Ensino Básico (110)

Horário n.º 46 - Informática (GR 550) 

Horário n.º 56 - Português e Inglês (GR 220)

Projeto Erasmus+ (In)school- developing Skills for Life

O projeto (In)school- developing Skills for Life viu o seu trabalho reconhecido tendo sido galardoado com o Prémio Erasmus+ Boas Práticas 2022 – Ensino Escolar, atribuído pelas agências nacionais Erasmus+ Educação e Formação e Erasmus+ Juventude/Desporto e Corpo Europeu de Solidariedade, no passado mês de dezembro. Todo o trabalho desenvolvido, coordenado pela Casa do Professor e tendo como um dos parceiros o Agrupamento de Escolas de Maximinos centrou-se no desenvolvimento das funções executivas, nomeadamente a memória de trabalho, o controlo inibitório e a flexibilidade cognitiva, competências fundamentais para o desenvolvimento pleno e harmonioso de novas aprendizagens, em crianças desde os 5 aos 7 anos.

Para além dos jogos e materiais desenvolvidos pelo projeto, também pela capacitação de professores, passou ainda pela criação de um Centro Psicoeducativo, num dos Centros Escolares deste Agrupamento de Escolas. 

Poderá visualizar a cerimónia da entrega do prémio no link abaixo:

 

Escolher o  AEMaximinos. Porquê?

 

 

 

Agarre em Si. Invista no seu futuro!
Nós também somos Qualifica!

Mais informações em www.qualifica.gov.pt
Ficha de inscrição